Pular para o conteúdo principal

Kalé Tyche!

"A Fernanda me falou faz pouco tempo da vontade que tinha de iniciar um blog. Acreditem ou não, o único receio dela era não ter o que escrever ou não contribuir tão bem quanto poderia. Tudo bem, perfeccionismo faz parte do charme dela, é o que mantém sua inteligência em níveis aceitáveis de modéstia, então não vamos mexer nisso. Para nossa alegria, contudo, consegui convencê-la do contrário. Foi a maneira que encontrei de estimulá-la a apresentar-se ao espaço público e emitir suas opiniões, dividir suas leituras, suas pesquisas, suas idéias. Ela diz que o nome do blog, algo como “Jardim da Discípula”, é uma homenagem a mim e a todos os seus outros mestres, mas tenho lá as minhas dúvidas sobre a veracidade dessa explicação. Para mim, o que o nome significa é que ela tem cultivado dentro de si, como belas flores, várias idéias próprias, regadas continuamente, tratadas com carinho e cuidado, que agora querem abrir-se e mostrar-se, para polinizar outras mentes. Ela está abrindo ao público seu bem cuidado jardim de idéias. Dessa forma os colegas poderão descobrir o que eles perdem por não ouvirem as perguntas que a Fernanda faz ao fim da aula, quando ninguém mais está ouvindo, ou os comentários que ela faz fora de sala, quando não podem gerar o debate que mereceriam. É a internet proporcionando no espaço virtual o que no espaço real a timidez e a discrição excessivas quase sempre nos furtam. Para aqueles que não a conhecem, será uma oportunidade e tanto para corrigir esse sério problema em suas linhas do destino e recuperarem um pouco de esperança na humanidade, lendo as contribuições de uma pessoa de cérebro ágil e coração puro, além de fino e oportuno senso de humor. Minha expectativa é que aqui sejam vertidas descobertas e perspectivas interessantes sobre assuntos em História, Literatura e Filosofia, com toques de ficção de quando em vez (torço para que seja mais J. R. R. Tolkien que J. K. Rowling, mais Anne Rice que Stephenie Meyer, mas não se pode garantir nada... Na verdade, pensando bem, se não houver dicas de Devil May Cry 4 já estaremos todos no lucro). Passarei a recomendar esse blog com um link a partir do meu e a visitá-lo diariamente. Recomendo a todos que façam o mesmo. Um abraço, Fernanda! Kalé tyche!"

Introdução gentilmente escrita pelo Prof. André Coelho, dono do blog Filósofo Grego, citado entre meus Recomendados.

As opiniões emitidas nessa postagem não correspondem às posições desse blog ou de sua criadora. Todas as idéias veiculadas nessa introdução são de inteira responsabilidade de seu escritor! ; )

Comentários

  1. Me sinto honrada e muito feliz de poder iniciar meu blog com as palavras de algém que respeito muito e admiro de todo coração.

    Espero fazer juz a tamanha homenagem!

    Muito obrigada por todo o incentivo e pela grande orientação!

    Abraços.

    P.S.: Devil May Cry 4 é legal, poxa...

    ResponderExcluir
  2. Se houver dicas de Devil May Cry 4, vou fazer comentários descrevendo meu Top 5 de gols mais bonitos no FIFA09...

    Estou à espera das postagens.

    ResponderExcluir
  3. Cadê as benditas postagens????

    ResponderExcluir
  4. Olá, Fernanda. Você criou uma grande expectativa em mim, devido aos temas que escolheu para o seu blog, pois também sou uma ávida leitora. Espero ansiosamente pelas suas contribuições e, sempre que o meu pouco conhecimento permitir, fazer algumas perguntas e comentários. Parabéns pela iniciativa!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. "André Coelho disse...

    Cadê as benditas postagens????"

    Totalmente sem pressão... (rs)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A DUPLA MOTIVAÇÃO ENTRE ÁGAMÊMNON E ZEUS NO SACRIFÍCIO DE IFIGÊNIA

Segue abaixo o meu ensaio produzido para a matéria, Mito e Engano: a Ate na Ilíada, acompanhada na pós-graduação de Letras Clássicas, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.
INTRODUÇÃO
No presente trabalho pretendemos analisar com brevidade o fenômeno da dupla motivação presente nas ações de Agamêmnon na tragédia de mesmo nome, primeira da trilogia da Orestéia, de Ésquilo. A passagem referente ao presságio das águias e da profecia reveladora de Calcas, em conjunto com os contornos do sacrifício de Ifigênia, tal como apresentados por Ésquilo, servirão de fundo para o estudo deste fenômeno construído na tensão entre determinação divina e autonomia das ações humanas. Agamêmnon, general do exército e sob o titulo do rei dos reis, reúne os gregos para a guerra contra Tróia. Está sob o juramento de seu cetro e deve seguir com a Justiça de Zeus pela vingança contra Páris e todo o povo de Príamo. Contudo se encontra incapaz de prosseguir, preso no porto de Áulida. Ártemis o …

Contextualização da Orestéia: Sobre a Guerra de Tróia, o Sacrifício de Ifigênia e a Maldição de Cassandra

Concentrar-nos-emos, aqui, em desenvolver um breve relado do corpo mítico e épico que embasa tanto a produção da Orestéia de Ésquilo, quanto o pano de fundo compartilhado por seus contemporâneos e pela sua audiência. Para esta produção, nos concentraremos – dentre as diversas narrativas míticas que embasam a obra de Ésquilo – naquelas a respeito da Guerra de Tróia, juntamente com o Sacrifício de Ifigênia e a Maldição de Cassandra. Ainda sim será um relato breve e tendo em vista as circunstâncias míticas que têm influência mais direta na peça. Esta escolha tem em vista a essencialidade da matéria para a compreensão da primeira peça da trilogia, Agamêmnon.

Na introdução, falar-se-á resumidamente da influência do mito e do épico no desenvolvimento do enredo da tragédia ática. Em seguida veremos versões míticas da (1) Guerra de Tróia; do (2) Sacrifício de Ifigênia; e da (3) Maldição de Cassandra e algumas passagens correspondentes da Orestéia.
A tradição dramática na ática tratava os contos…

Resumo recusado pela diretoria da ANPOF para participção no XIV Encontro Nacional de Filosofia

A relação entre justiça e vingança no enredo trágico pré-moderno e moderno: uma contribuição à teoria moral de Jürgen Habermas.

O trabalho pretende extrair duas diferentes concepções de justiça a partir das particularidades entre contextos éticos distintos, pré-moderno e moderno. A respeito disso, Habermas explica que: no mundo pré-moderno é possível interligar as diferentes ordens sociais a partir de um ethos comum, que permite a padronização de valores e instituições as quais recobrem os motivos e orientações da ação, por um lado, e interligam as normas políticas e de conduta, por outro; já no mundo moderno, pela racionalização do mundo da vida, ocorre o aumento do uso da racionalidade prática e cresce a reflexão a respeito da própria ordem e orientação ética tradicional, gerando as idéias distintas de auto-realização e autodeterminação as quais correspondem à diferenciação de questões éticas e questões morais. Para exemplificar as diferentes concepções de justiça, tratar-se-á do sen…